Blog das Carreiras Jurídicas pela Democracia

Carta de um jovem artista

A quem interessa que eu viva com medo?

A quem poderia interessar que eu tema limites, sempre à espreita?

 

Acorrenta,

camisa que amarra,

à força,

a voz da minha arte.

 

Não é o que eu falo.

É o que tu ouves,

meu caro.

 

Se o impulso que verte de mim

denuncia

a dor que é minha.

Dor que sofro.

Dor de ver o outro sofrer

serás tu a dizer o que eu

poderei escrever?

 

Não temo o teu olhar aflito.

Rio das tuas conclusões óbvias.

 

Seguirei entornando o cálice,

minhas cores, enigmáticas,

lacuna e entrelinha.

Márcia Kern, Juíza de Direito.

A ilustração é de Os refugiados, de R. J. Kitaj.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top